Encontre empresas, produtos e entretenimento


Edições Anteriores


Conheça todas as edições da QRevista! Clique para ver mais.

Veja Mais
Entretenimento
Aconteceu
Q Boteco 2020
Destaque Profissional
Q Halloween
Q Rock 2019
Palestra Amigas do Peito
Produtos
Empresas Parceiras
Últimas Notícias
SHOW DIOGO NOGUEIRA DIA 04 DE DEZEMBRO NA ADLER EM VINHEDO
23/11/2021   Eventos
 Postado por:   QRevista

SHOW DIOGO NOGUEIRA DIA 04 DE DEZEMBRO NA ADLER EM VINHEDO
SAMBA DE VERÃO

INGRESSOS ONLINE: https://megabilheteria.com/evento?id=20211112194904

SAIBA MAIS PELO WHATSAPP: (11) 91211-0707

LOCAL:
ADLER EVENTOS
RUA ANTONIO FERRAGUT - PINHEIRINHO, 885 - VINHEDO/SP

Cuide bem do seu melhor amigo: descubra se seu pet já é idoso e quais os cuidados nesta fase
01/11/2021   Pet e Cia
 Postado por:   Iara Consoline

Será que meu pet já é idoso?

E agora?

 O envelhecimento é um processo natural e os nossos peludos também envelhecem. Eles podem ser considerados idosos quando já viveram mais de ¾ da expectativa de vida deles. Assim como nós, o cão idoso sofre os impactos da chegada da idade madura e é provável que você já tenha notado alguns desses sinais. Andam mais devagar, não sobem com tanta facilidade no sofá, não enxergam ou escutam tão bem, podem ficar mais dorminhocos e preguiçosos.

Mas esta etapa da vida do pet é também maravilhosa. Ao contrário dos filhotes, já sabem fazer as necessidades no lugar certo, gostam mais de carinho (ficam mais carentes) e estão acostumados com a rotina da casa. Por isso, merecem muito carinho, atenção e cuidados com a saúde e o bem-estar.

 

Cuidados preventivos: superalimentos

A qualidade de vida nessa etapa da vida do pet irá depender muito dos cuidados preventivos oferecidos. Além dos citados acima, é muito importante oferecer um suplemento natural que melhore a saúde e o bem-estar, além de reduzir o aparecimento de doenças. Alguns alimentos vão além de suas funções nutricionais básicas, contribuindo para a saúde dos pets.

A Botica Pets reuniu 8 superalimentos em uma só fórmula natural, livre de conservantes, que é indicada por veterinários e certificada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). 

 A composição da Fórmula Geriátrica inclui: ginkgo biloba (melhora da função cognitiva) + romã (antioxidante e cardioprotetor) + calêndula (anti-inflamatória, calmante e antimicrobiana), levedura de cerveja (melhora a digestão) + acerola (estimula as defesas naturais) + alho (ação germicida e na melhora da circulação) + alcachofra (ação digestiva e antioxidante) + guaraná (estimulante e antioxidante). 

 

 Mas por que oferecer uma fórmula específica para o cão idoso?

 Manter a qualidade de vida de animais idosos é muito importante para que eles possam passar mais tempo ao nosso lado e com muita saúde. No entanto, os pets com idade avançada podem apresentar maior dificuldade para se movimentar, pular, comer e até para enxergar. Além disso, mudanças de comportamento também podem ser associadas ao envelhecimento.

 Uma delas é a mudança de temperamento. Um cão que sempre foi dócil, pode ficar mais impaciente quando mais velho, assim como nós. O processo de envelhecimento pode causar a perda progressiva das funções sensoriais, devido à “morte” dos neurônios, com alterações no cérebro parecidas com as que o Alzheimer provoca nos seres humanos. Trata-se de uma doença conhecida como Síndrome da Disfunção Cognitiva.

 Neste caso, o cão pode apresentar: desorientação (ficar perdido em locais com que já era familiarizado), alteração de sono (ficar acordado a noite toda e dormir o dia todo), perda de memória (esquecer comandos já aprendidos e realizados a vida toda), falta de atenção, ansiedade, irritabilidade e excesso de vocalização (choros ou uivos).

 Saiba a seguir como os ingredientes naturais presentes na Fórmula Geriátrica podem ajudar a prevenir e tratar o seu pet idoso.

 

Conheça o suplemento Geriátrico e seus benefícios: 

 Ginkgo Biloba: melhora da função cognitiva em cães idosos, devido à sua função neuroprotetora, diminuindo assim a degeneração neurológica. Possui ampla ação antioxidante e de aumento do fluxo sanguíneo cerebral, sendo efetivo no alívio de sintomas da disfunção cognitiva em cães idosos. Sua administração é bastante segura, já que apresenta baixa toxicidade. Protege os neurônios e promove a retenção da memória de curto prazo. Ajuda a reduzir a ansiedade, desorientação, mudança de hábitos noturnos e outros problemas comuns em animais idosos. Também auxilia na manutenção da vista e a evitar espasmos musculares.

 Romã: possui alta concentração de polifenóis, que são antioxidantes, tornando o efeito sobre os radicais livres especialmente potente e inibindo, por exemplo, a proliferação de células tumorais. Possui alto teor de fibras, potássio, ácido fólico e vitamina C. Tem efeito cardioprotetor.

 Calêndula: auxilia no tratamento de inflamações no trato digestivo e urinário, restabelecendo a saúde das membranas mucosas que constituem esses órgãos e ajudando a prevenir úlceras gástricas. Sua capacidade para estimular a cicatrização é o principal benefício pelo qual a calêndula é conhecida.

 Levedura de cerveja: é considerada um modulador do sistema imunológico por estimular as defesas naturais. Ajuda a melhorar a digestão do pet, facilitando a quebra e absorção dos alimentos.

 Acerola: fonte de vitamina C e antioxidantes, que ajudam a fortalecer o sistema imunológico. Também funciona como um adstringente para distúrbios hepáticos e neutraliza radicais livres. Auxilia no fortalecimento do sistema imunolo?gico, aumentando a resistência às infecções. Facilita a formação de colágeno, melhorando a cicatrização.

 Alho: auxilia na eliminação de toxinas, tem ação germicida e estimula o sistema imunológico.  Também melhora a circulação sanguínea e ajuda a manter níveis saudáveis de colesterol.

 Alcachofra: facilita a digestão por estimular o fígado. Aumenta a produção e liberação da bile, promovendo a eliminação de toxinas e a regulação do intestino.

 Guaraná: atua como um “estimulante”, aumentando a resistência nos esforços musculares e diminuindo a fadiga motora. Tem ação antioxidante, estimulando o sistema imunológico e combatendo doenças oportunistas. É rico em catequina que é uma substância que combate os radicais livres, tendo efeito antioxidante, prevenindo o envelhecimento.

 

 Quer saber mais sobre a fórmula da Botica Pets?

Acesse: https://www.boticapets.com.br/formula-geriatrica

 

Tal pai tal filho: seu estresse pode estressar seu cão
03/09/2021   Pet e Cia
 Postado por:   Iara Consoline

De acordo com estudo realizado pela Universidade de Linköp, os cães não só sentem o estresse dos seus tutores como se estressam junto com eles, isso porque, o estudo demonstrou que o nível do hormônio cortisol, conhecido como hormônio do estresse, também aumenta nos cães, quando isso ocorre com seus familiares.

Por isso, é preciso ter atenção a alteração de hábitos do cão como, latidos excessivos, medo, pânico de ficar sozinho, entre outros. Caso isso aconteça e se seu tutor apresentar um quadro de estresse, há um forte indício de que o pet está compartilhando do mesmo problema.

Neste caso, é importante tomar medidas para evitar que o estresse do tutor comprometa a saúde do filho de quatro patas, desde a necessidade de manter uma rotina de autocuidado, até medidas para acalmar o pet.

Confira mais informações sobre o estudo e também nossas dicas de cuidados para evitar ou amenizar o estresse do peludo:

 

O estudo

Segundo informações da BBC News Brasil, o estudo realizado por cientistas da Universidade de Linköping, na Suécia, constatou que donos de animais de estimação estressados podem influenciar o estado emocional de seus cães. A descoberta baseou-se em uma análise da presença de cortisol no organismo das pessoas e de seus pets. De acordo com a bióloga Lina Roth, uma das responsáveis pela pesquisa, os cães e os donos "sincronizam" seus níveis de estresse a longo prazo, isso quer dizer que a personalidade do dono afeta as concentrações de cortisol nos cães.

Trata-se de um efeito do processo de domesticação dos cães, o que os levou a se tornarem seres dependentes dos humanos, inclusive emocionalmente. É como se o cão espelhasse o estresse de seu dono. O estudo acompanhou 58 cães das raças Border Collie e Pastor de Shetland e suas donas. A partir de amostras de cabelo das proprietárias e dos pelos de seus cães, foi analisada a concentração de cortisol em duas ocasiões diferentes. As raças escolhidas têm em comum a capacidade de interagir bem com seres humanos, respondendo com precisão e rapidez aos sinais.  

O resultado da pesquisa

Os pesquisadores descobriram que, à medida que o pelo cresce, o cortisol da corrente sanguínea é gradualmente incorporado e, a partir de amostras de cabelo, eles conseguiram analisar os níveis de estresse ao longo de meses. As tutoras dos cães também responderam um longo questionário com perguntas da personalidade - tanto delas, quanto de seus cães. A partir dessas análises, descobriu-se que os níveis de cortisol a longo prazo no cão e em seu dono foram sincronizados, de modo que os proprietários com altos níveis de cortisol têm cães com altos níveis de cortisol.  

Como deixar o pet mais tranquilo?

A primeira coisa a se fazer é o autocuidado: se seu estresse está afetando o pet, que tal ser mais atencioso consigo mesmo?

Outra dica é o cuidado natural com o pet, a partir do uso de suplementos naturais, opte por algum que tenha como base o maracujá pois, ele pode trazer inúmeros benefícios para ajudar no tratamento de diversos problemas.A ansiedade, a hiperatividade, agitação noturna e problemas de sono, por exemplo, considerado um calmante natural, o maracujá possui propriedades ansiolíticas (atuando contra irritabilidade e hiperatividade) e antiespasmódicas (que suprime a contração do tecido muscular liso, promovendo conforto digestivo para ajudar a acalmar o animal). Também melhora a concentração do pet para o adestramento e a realização de exercícios. Entretanto, esta planta e seu fruto não devem ser oferecidos aos cães diretamente, como alimento.

Preparamos algumas dicas que também podem te ajudar a amenizar o problema, aplique as dicas e aproveite esses momentos com seu pet. Confira:

Dica 1: Passeio: o cão entra em contato com estímulos externos, como outros bichos e sons, cheiros e texturas. O recomendado é passear duas vezes ao dia, uma pela manhã e a outra no final do dia. Agora, se você não tiver tempo para isso, é interessante pensar em contratar um passeador. Ou, outra opção é deixar o animal no day care. Cachorro preso em casa, sem conhecer outros amiguinhos e sem a possibilidade de cheirar para conhecer o mundo, pode ser um estresse.   

Dica 2: Socialização: um dos aspectos mais importantes da vida de um cachorro é a socialização. Por isso, levar o pet para passeios desde cedo (após o fim do protocolo vacinal inicial). É muito bom para uma boa convivência. Além disso, o exercício físico ajuda a reduzir a ansiedade do pet.   

Dica 3: Vínculo emocional: deixar para dar atenção ao cão somente quando tiver tempo pode fazer com que o seu pet se sinta muito sozinho. Isso porque quase nunca sobra horas no dia para fazer isso. Portanto, o importante é incluir o pet na sua rotina. Assim fica menos corrido para você e o peludo ganha atenção diversas vezes ao dia. Para isso, separe um tempo para realizar as atividades que o peludo gosta, como passear ou brincar.   

Dica 4: Enriquecimento ambiental: para os pets que passam muito tempo sozinhos, manter um ambiente com diversas opções de brinquedos interativos é fundamental. Também é importante que o tutor ensine e estimule brincadeiras. 

Dica extra para o tutor: as ações sugeridas também podem te auxiliar a reduzir o seu estresse, pois, nos momentos com o pet você vai conseguir manter a cabeça longe dos problemas com mais facilidade, além de toda a diversão que estar mais perto do seu filho de quatro patas pode proporcionar.

As veterinárias da Botica Pets nos enviaram informações para este texto, conheça a Botica Pets: https://www.boticapets.com.br/

 

Imagem: <a href='https://br.freepik.com/fotos/fundo'>Fundo foto criado por photoangel - br.freepik.com</a>

Siga-nos no Instagram
Previsão do tempo